Foto: Marcos Correa/P

O procurador-geral da República, Augusto Aras, determinou a abertura de apuração preliminar a respeito da conduta do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, sobre a “nota à nação brasileira”.

O Supremo Tribunal Federal (STF) foi informado nesta quinta-feira (25). O documento afirma que “caso surjam indícios mais robustos de possível prática de ilícitos pelo representado, será requerida a instauração de inquérito criminal no STF, para adoção das medidas cabíveis”.

O PDT apresentou, em maio, uma notícia-crime sobre o ministro general Heleno. Na nota, Heleno se manifesta em tom de ameaça à decisão do ministro Celso de Mello, sobre a apreensão dos celulares do presidente Jair Bolsonaro e de seu filho Carlos, afirmando que, caso feito, poderia trazer “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.