Foto: Sérgio Lima/Poder360

O Supremo Tribunal Federal (STF), em sessão virtual ontem (16), decidiu majoritariamente pela manutenção do ministro da Educação, Abraham Weintraub, no inquérito das Fake News contra o Tribunal.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, havia protocolado um pedido de habeas corpus para a retirada de Weintraub do inquérito e também solicitou o arquivamento das investigações.

A votação continua nesta quarta-feira (17) e por enquanto o placar está em 2 x 0 pela continuidade do inquérito. Até o momento, foram favoráveis às investigações os ministros Alexandre de Moraes e o relator Edson Fachin.

O ministro da Educação afirmou em conversas reservadas com aliados e interlocutores que teme a prisão preventiva e até de sofrer agressões ou ataques físicos. Sua fala em que chama os ministros da corte de “vagabundos” pode ser enquadrada na Lei de Segurança Nacional. Nos bastidores, após deixar o ministério, o presidente Jair Bolsonaro pode indicá-lo à um posto diplomático ou a diretoria de um banco internacional.