Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê uma queda de 7,4% no Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2020. Se uma segunda onda do coronavírus atingir o país no último trimestre do ano, o número pode chegar a 9,1%. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (10) no relatório Perspectivas Econômicas.

Para a OCDE, a recuperação econômica brasileira deve ser de forma gradual e parcial, no ano que vem. A projeção pressupõe flexibilizações graduais das medidas de isolamento social a partir da primeira metade de junho. Segundo o documento, “a economia estava finalmente se recuperando de uma longa recessão quando o surto de COVID-19 atingiu o país e, agora, a previsão é sofra uma recessão profunda”.

Na projeção em que o Brasil não é atingido por uma segunda onda do coronavírus, a OCDE imagina um crescimento de 4,2% no PIB em 2021. Nesse caso, a dívida pública alcançaria quase 90% do PIB.