Foto: Marcos Corrêa/PR

Durante a reunião ministerial transmitida hoje (9), o chanceler Ernesto Araújo afirmou que, em coordenação com o Ministério da Saúde, acompanha com “muita preocupação” o papel da Organização Mundial da Saúde (OMS) durante a pandemia do coronavírus.

Araújo criticou o que classificou como aparente falta de independência, transparência e coerência da instituição.

Tem crescido nos últimos dias por parte da chamada ala ideológica do governo, que Araújo faz parte, uma tentativa de ideologizar o debate da pandemia. Diante do agravamento da covid-19 no Brasil, esses setores tem procurado “adversários externos” para minimizar o desgaste político.

A pandemia deverá ainda trazer novas tensões com o Supremo Tribunal Federal (STF), que ontem, através do ministro Alexandre de Moraes, concedeu uma liminar que determina a divulgação dos dados completos da covid-19 por parte do Ministério da Saúde.

Além disso, deve crescer o embate do presidente Jair Bolsonaro com os governadores devido a pressão pela reabertura da economia em face do agravamento das condições econômicas, sobretudo do desemprego.