Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Cresceu cinco pontos percentuais (de 45% para 50%) a avaliação negativa (ruim/péssimo) do governo Jair Bolsonaro na condução da pandemia provocada pelo coronavírus, aponta o Datafolha. A avaliação positiva (ótima/boa) ficou estável em 27%, mesmo percentual registrado há cerca de 30 dias. A avaliação regular, por sua vez, caiu três pontos (25% para 22%).

Assim como o registrado na pesquisa sobre a popularidade de Bolsonaro, está ocorrendo uma migração da avaliação regular para a negativa do governo também na gestão da crise do coronavírus. Esse fato pode sugerir que a pandemia está puxando para cima a desaprovação de Bolsonaro.

Cai aprovação do Ministério da Saúde

Também está crescendo a desaprovação a atuação do Ministério da Saúde na pandemia. Hoje, 45% dos entrevistados avaliam positivamente a atuação da pasta (dez pontos percentuais a menos que no final de abril). A avaliação negativa é de 21% (sete pontos a mais que o levantamento anterior). Já a avaliação regular é de 32% (seis pontos a mais que o registrado em abril).

Vale registrar que desde a saída do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, a avaliação ótimo/bom da pasta caiu 31 pontos (76% para 45%). O índice ruim/péssimo subiu 16 pontos (5% para 21%). E o percentual regular cresceu 14 pontos (18% para 32%).

Governadores bem avaliados, mas desaprovação cresce

De acordo com o Datafolha, a avaliação positiva dos governadores no manejo da crise do coronavírus continua alta (50%). Porém, esse percentual caiu quatro pontos em 30 dias. Por outro lado, a avaliação negativa cresceu cinco pontos (20% para 25%). A avaliação regular oscilou um ponto para cima (de 24% para 25%).

Em relação ao início de abril, a popularidade dos governadores perdeu oito pontos (58% para 50%), enquanto a avaliação negativa cresceu nove pontos (16% para 25%).