Foto: Renato Costa/Framephoto/Estadão Conteúdo

O Ministério Público Federal (MPF), no âmbito da Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural, enviou uma manifestação à Procuradoria-Geral da República (PRG), nesta quarta-feira (27), em que solicita investigação do ministro do meio ambiente, Ricardo Salles por crimes de responsabilidade e improbidade administrativa.

O pedido foi motivado pelas declarações feitas pelo ministro na reunião do dia 22 de abril, no Palácio do Planalto, em que afirmou que o governo deveria aproveitar “a tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só se fala de Covid, para ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas”. Para o MPF, a fala demonstra que a “conduta do ministro à frente da pasta traduz verdadeiro encadeamento premeditado de atuar contrário à proteção ambiental”.

Segundo o documento da representação, o MPF diz que desde o início da gestão, Salles adotou medidas que contribuíram tanto direta quanto indiretamente para o aumento do desmatamento, das queimadas, da ocupação de terras públicas e outros crimes ambientais.