Foto: Marcos Corrêa/PR/CP

Dos entrevistados que assistiram ao polêmico vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, 61% acreditam que o presidente Jair Bolsonaro tentou intervir politicamente na Polícia Federal (PF). É o que aponta a pesquisa divulgada hoje (27) pelo instituto Datafolha.

Por outro lado, 32% entendem que Bolsonaro se referia à mudança na segurança pessoal de sua família quando utilizou a fala “vou interferir, sim”.

Os que mais acreditam na tese da interferência na PF têm faixa etária de 16 a 24 anos(70%), mulheres (67%), são funcionários públicos (69%) e moradores da região Nordeste (65%).

Já os setores que mais acreditam na versão do presidente são homens (37%), com ensino fundamental (36%), assalariados sem registro (53%) e moradores das regiões Norte/Centro-Oeste (36%).

Questionados sobre o tom da reunião ministerial, 76% consideram que as falas de Jair Bolsonaro foram inadaquedas. Apenas 19% avaliam como adequadas.