Foto: Adriano Machado/Reuters

O Senado convocou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para esclarecer seu pronunciamento na reunião interministerial do dia 22 de abril deste ano, que foi tornada pública na sexta-feira (22) por meio de vídeo autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal (STF), Celso de Mello.

Na reunião, Weintraub afirmou que por ele “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando pelo STF”. Além disso, afirmou que odeia o termos “povos indígenas” e “povo cigano”.

Por fim, classificou Brasília como uma “porcaria”, “um cancro de corrupção e privilégio”. Questionou o fato de ser o único ministro com vários processos no Comitê de Ética da Presidência da República. Em janeiro deste ano ele foi advertido pelo colegiado por falta de decoro após comparar os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff à cocaína encontrada em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).