Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Líderes partidários de diferentes siglas anunciaram que irão convocar o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, para dar esclarecimentos sobre a nota divulgada por ele na última sexta-feira (22).

A nota diz que, caso o celular do presidente Jair Bolsonaro seja apreendido, conforme o pedido do Supremo Tribunal Federal (STF), haverão “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

Até mesmo a ex-apoiadora do governo, líder do PSL, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou que a nota é “uma clara ameaça do comandante do GSI”. Já o líder do PSB na Câmara, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), afirmou que irá recorrer contra o ministro na Procuradoria-Geral da República, com base na Lei de Segurança Nacional e que “é preciso frear os arroubos autoritários do governo Bolsonaro”.