Foto: Nelson Jr./SCO/STF/Divulgação

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou nesta sexta-feira (22), três notícias-crimes para a Procuradoria-Geral da República (PRG), que foram apresentadas por partidos políticos solicitando busca e apreensão dos celulares do presidente Jair Bolsonaro.

O pedido também inclui depoimentos de Bolsonaro sobre sua suposta interferência política na Polícia Federal. No mesmo dia em que o ministro do STF enviou as notícias a PRG, ele deve decidir sobre a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, citado pelo ex-ministro Sergio Moro na investigação sobre a interferência na PF.

“A indisponibilidade da pretensão investigatória do Estado impede, pois, que os órgãos públicos competentes ignorem aquilo que se aponta na ‘notitia criminis’, motivo pelo qual se torna imprescindível a apuração dos fatos delatados, quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente envolvidas, ainda que se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo, Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado”, afirmou Celso de Mello.