José Cruz/Agência Brasil

O ex-diretor geral da Polícia Federal Maurício Valeixo negou em depoimento que a troca na direção da corporação poderia impactar nas investigações da PF. Valeixo foi questionado nesta segunda-feira (11) sobre o inquérito das Fake News e sobre a ocasião na qual o ex-ministro da Justiça Sergio Moro acusou o presidente Jair Bolsonaro de interferir politicamente na Polícia Federal.

Bolsonaro tinha como intenção nomear em seu lugar o atual diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem. A nomeação de Ramagem foi suspensa por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Ao ser questionado pelo interrogador se “a troca de diretor na PF poderia impactar no acesso a informações do inquérito”, Valeixo respondeu que “não, pois seria necessária uma troca na rotina de trabalho estabelecida na Polícia Federal já há muitos anos”.

O ex-diretor também confirmou que “entendia que havia encerrado seu ciclo no comando da PF” e que deseja sair do cargo.