Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A Consultoria Legislativa do Senado divulgou, nesta quarta-feira (6), o estudo Impactos do Novo Coronavírus (Covid-19) no Agronegócio Brasileiro, com o objetivo de mostrar a vastidão das consequências para o setor e a economia brasileira.

De acordo com o estudo, a incerteza no mercado e a falta de previsibilidade a respeito do tempo em que as consequências da Covid-19 irão durar fazem com que as projeções para 2020 sejam pessimistas.

O Banco Mundial calculou que a queda do PIB brasileiro neste ano deve ser em 5%. Para a América Latina e Caribe, o recuo deve ser de 4,6%. Para 2021 e 2022, o Banco estima um crescimento de 1,5% e 2,3% do PIB brasileiro, respectivamente.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), as seis maiores preocupações sobre as consequências da pandemia para o agronegócio são:

1) impacto em preços e mercados;
2) lentidão e escassez nas
cadeias de suprimentos;
3) saúde dos produtores e de suas famílias;
4) eventuais baixas na força de trabalho;
5) segurança para os trabalhadores e falta de equipamento de proteção individual;
6) outras interrupções e outros desafios que moradores de áreas rurais podem vir a enfrentar

Por outro lado, há seis efeitos de como o coronavírus mudou o meio ambiente:

1) melhoria na qualidade do ar;
2) redução drástica na emissão dos gases provocadores do efeito estufa;
3) montanhas de lixo (já que tem se evitado o uso de material reciclável);
4) mais espaço no transporte público e menor ocupação das ruas;
5) emissões de companhias aéreas paradas;
6) o problema climático foi riscado da agenda.

Para conferir o estudo completo, clique aqui.