Gabriel Jabur/Agência Brasília

Haverá espaço adicional no orçamento de R$ 4 bilhões para investimento em infraestrutura, prometeu o ministro da Economia, Paulo Guedes, durante teleconferência organizada pela Federação da Indústria do Rio de Janeiro (Fierj), na terça-feira passada.

Com isso, o ministro sinalizou aos empresários que há espaço para um repasse nesse valor ao Ministério da Infraestrutura, para investimentos em obras públicas. O valor mencionado seria acrescido ao orçamento do Ministério da Infraestrutura para este ano, elevando o seu total para R$ 12 bilhões. Na composição, entrariam aportes da iniciativa privada via concessões.

No dia seguinte, em entrevista, Paulo Guedes e o chefe da Casa Civil, general Walter Braga Netto, negaram divergências e reafirmaram que a economia não muda. “Houve uma interpretação equivocada do Pró-Brasil”, disse Braga Netto. “Em nenhum momento se pensou em sair do trilho programado pela Economia.”

PPI qualifica terminais portuários

Foram qualificados, para licitação no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), cinco terminais portuários, em Alagoas, Amapá, Pará, Paraná e Bahia. Em Alagoas, o Terminal MAC10, no Porto de Maceió, destina-se à movimentação e armazenagem de granéis líquidos, principalmente ácido sulfúrico.

No Amapá, o Terminal MCP02,no Porto de Santana,visa à movimentação e armazenagem de granéis vegetais sólidos, sobretudo farelo de soja. No Pará, o Terminal VDC10, no Porto de Vila do Conde, em Barcarena, visa à movimentação e armazenagem de granel líquido, alumina e hidrato.

No Paraná, o Terminal PAR50, no Porto de Paranaguá, destina-se à movimentação, armazenagem e distribuição de granéis líquidos, em especial de produtos químicos, etanol, óleos vegetais e combustíveis. Na Bahia, o Terminal ATU18, no Porto de Aratu, próximo a Salvador, destina-se à movimentação e armazenagem de granel vegetal sólido.