Foto: Marcelo Fonseca /Agência O Globo

As empresas participantes do Programa de Financiamento às Exportações (Proex) e que suspenderam o pagamento desses financiamentos poderão continuar a pagar juros mais baixos que as taxas de mercado tão logo voltem a quitar suas parcelas pendentes. Essa decisão foi tomada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) que permite ao Tesouro Nacional subsidiar tais taxas nos casos de suspensão do pagamento.

A medida abrange financiamentos que podem ser apoiados pelo Proex por meio de equalização entre juros subsidiados e taxas de mercado. Segundo o Ministério da Economia, a medida atende prioritariamente ao setor aéreo, mas a possibilidade o Tesouro manter os juros subsidiados foi decidida pelos outros setores da economia, seja para presentes quanto pra futuros financiamentos.

Já a liberação de linhas de capital de giro para as empresas afetadas pela pandemia de coronavírus já somou R$ 1,1 bilhão, de acordo com informações fornecidas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A quantia é equivalente a 22% dos R$ 5 bilhões anunciados no último mês para auxiliar micro, pequenas e médias empresas.

Ainda de acordo com o BNDES, 3 mil empresas já tiveram acesso ao financiamento com valor médio de R$ 368 mil para cada companhia, sendo 82% destas pertencentes ao setor de comércio serviços e 65% delas localizadas na Região Sudeste.