Foto: EBC

O governo federal calcula que, por conta das medidas de enfrentamento da pandemia de coronavírus e da queda das receitas recolhidas pela União por conta da crise, o setor público sofrerá um rombo de R$ 600 bilhões em 2020, o que equivale a 8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, segundo dados do Tesouro Nacional.

Em março as contas públicas fecharam com déficit de R$ 21,2 bilhões, ainda sem impactos econômicos da pandemia. Este foi o terceiro pior resultado da série histórica. Para abril, maio e junho, o impacto será ainda maior. Para 2021, há possibilidade de um déficit de R$ 150 bilhões atingir as contas públicas.

Por consequência do rombo, a dívida pública vai aumentar. O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, afirmou que “é uma piora fiscal temporária” e que o Tesouro irá dispor de um esforço fiscal ainda maior posterior a crise.