O Conselho do Mercado Comum, órgão superior do Mercosul, aprovou a destinação imediata de cerca de US$ 6 milhões do seu fundo de desenvolvimento (Focem) para combater a pandemia do coronavírus nos países do Bloco. A Fundação Oswaldo Cruz, no Brasil, receberá US$ 1,3 milhão.

O conselho é formado por chanceleres e ministros da Economia dos quatro países membros – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. A decisão foi tomada no dia 30 de março, e divulgada nesta sexta-feira (3) em nota conjunta. Também foi aprovado para o combate à COVID-19 um fundo reserva de US$ 10 milhões.

De acordo com os Ministérios da Economia e Relações Exteriores, os recursos serão empregados na aquisição de insumos, equipamentos, roupas de proteção e kits de diagnóstico. Além disso, buscará-se desenvolver e produzir um teste para sorodiagnóstico da doença.