Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (1) cerca de R$ 200 bilhões em medidas para socorrer trabalhadores e empresas, além de ajudar estado e municípios no enfrentamento aos efeitos da crise provocada pela pandemia do coronavírus. Pronunciamento se deu em fala à imprensa no Palácio do Planalto.

Bolsonaro explicou que serão editada três Medidas Provisórias (MPs) e que será sancionado o projeto que prevê o auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais até amanhã. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o auxílio custará R$ 98 bilhões aos cofres públicos e deve beneficiar 54 milhões de brasileiros.

Serão transferidos também R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados e dos municípios. As demais medidas serão para ajudar empresas na manutenção dos empregos. Serão R$ 51 bilhões para complementação salarial e R$ 40 bilhões (do Tesouro Nacional e de bancos privados) de crédito para financiamento da folha de pagamento. De acordo com Guedes, as medidas custarão à União o correspondente a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil.