Foto: Wang Zhao/AFP

A Universidade de Southampton, na Inglaterra, realizou um estudo no qual revelou que, se a China tivesse tomado as medidas de contenção do novo coronavírus em janeiro, haveria 86% menos casos de Covid-19. O país registrou, até o momento, mais de 81 mil casos da doença e aproximadamente 3,300 mortes.

A organização Repórteres sem Fronteiras (RSF) informa que, se o governo chinês não tivesse controlado a mídia, impedindo jornalistas e usuários de redes sociais de relatar a situação, a pandemia poderia ter sido controlada e milhares de vidas teriam sido salvas.

A RSF atua em defesa da liberdade de imprensa e listou situações em que os alertas sobre a doença foram censurados. A Universidade americana John Hopkins informou, em outubro de 2019, que uma pandemia poderia vitimar até 65 milhões de chineses, mas a pesquisa não pôde ser divulgada.

Além disso, um grupo de médicos descobriu que havia transmissão da doença de pessoa para pessoa, mas em seguida, os mesmos profissionais de saúde foram detidos pela polícia. Aplicativos de trocas de mensagens também foram controlados para impedir que informações sobre a doença fossem transmitidas.