Fotos: Marcos Corrêa/PR

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou hoje (25), durante atualização da situação da pandemia do coronavírus no país, que permanece no cargo. Ele também defendeu o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro em seu pronunciamento realizado ontem (24).

“Eu vejo nesse sentido a grande colaboração da fala do presidente. Chamar a atenção de todos que é preciso pensar na economia”, afirmou.

Mandetta defendeu a manutenção da atividade econômica. Ele disse que essa é uma das preocupações do comitê interministerial que gerencia a crise do coronavírus.

Segundo o ministro, “temos que melhorar esse negócio da quarentena, não ficou bom. A última quarentena foi em 1917. É normal, faz parte dessa situação, nós erramos, calibramos e fazermos projeções um pouco fora e questionáveis por A, B ou C. A quarentena é um remédio extremamente amargo e duro”.

Compartilhe