Marcos Oliveira/ Agência Senado

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), rompeu aliança com o presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira (25). Decisão foi anunciada após o pronunciamento do presidente em rede nacional na noite de terça-feira (24), no qual criticou medidas de contenção adotadas por governadores estaduais no combate ao novo coronavírus.

Segundo Caiado, é um rompimento definitivo. “Acabou. Como pode tratar um aliado como eu, desautorizando todas as minhas atitudes. Ele não é todo poderoso. As pessoas tem que ser tratadas de forma diferente. Pode ter convicção, mas ouça também. Dizer que isso é um resfriadinho, não dá”, disse.

O governador era considerado como um dos mais próximos ao presidente e foi um dos responsáveis pela indicação de Luiz Henrique Mandetta ao ministério da Saúde. Caiado criticou as falas de Bolsonaro logo após o pronunciamento de ontem. “Fui aliado de primeira hora, durante todo o tempo. Mas não posso admitir que venha agora um presidente lavar as mãos e responsabilizar outras pessoas por um colapso. Não faz parte da postura de governante”, disse.