Foto: José Cruz/Agência Brasil

O deputado Eduardo Bolsonaro comparou a pandemia do coronavírus com o acidente nuclear de Chernobil (antiga União Soviética) e informou que, nos dois casos, duas ditaduras omitiram informações que poderiam salvar vidas. A Embaixada da China protestou contra a acusação.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se desculpou a China em nome da Câmara dos Deputados “pelas palavras irrefletidas do deputado Eduardo Bolsonaro”.

Maia afirmou que a atitude do filho do presidente Bolsonaro não condiz com a importância da parceria do Brasil com a China e com os ritos democráticos e reiterou os laços de fraternidade entre os países. 

Compartilhe