Foto: Edgar Lisboa/Divulgação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convocou reunião de líderes hoje, às 13h, no Salão Nobre, um amplo espaço aberto na parte central do edifício do Congresso, e sem a presença de assessores. A medida faz parte de um grupo de ações para evitar eventuais casos de transmissão do Coronavírus.

Maia também solicitou que os gabinetes mantenham apenas dois funcionários em trabalho semana e que a partir da próxima apenas um seja mantido. Também dispensou pessoas com mais de 65 anos de comparecerem à Câmara. Na próxima semana os maiores de 60 anos também serão dispensados. Nas votações, a ideia é que compareçam ao Plenário apenas o presidente, os líderes e um assessor por bancada.

O temor de contágio entre funcionários e parlamentares é crítico. Ontem, o deputado Cezinha de Madureira (PSD-SP) foi diagnosticado com o vírus. É o segundo caso comprovado no Congresso. O primeiro foi o do senador Nelsinho Trad (PSD-MS). Outros congressistas fizeram exames ou estão em quarentena.

A intenção de Maia é voltar a agenda da Câmara para o combate ao Coronavírus. A pauta proposta gira em torno de matérias sobre saúde, economia e proteção social. Para viabilizar votações sem risco de contágio, estão sendo desenvolvidos sistemas para que os deputados possam votar remotamente, à distância. Um Projeto de Resolução para viabilizar essa modalidade de votação durante esse período já foi elaborado pela Mesa Diretora da Casa.