Foto: Brendan Smialowski / AFP

Membros do G20 prometeram tomar medidas fiscais e monetárias para proteger o crescimento econômico contra ao surto do Coronavírus.

O anuncio foi feito pela Arábia Saudita, que atualmente lidera o grupo. O posicionamento reflete a preocupação dos  ministros das Finanças do G20 e os presidentes dos bancos centrais, que se reuniram em Riad no mês de fevereiro.

Estima-se que o vírus possa pesar até 280 milhões de euros para o comércio internacional. A China é  o país mais afetado, seguido da Itália. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) reduziu de 2,9% para 2,4% a perspectiva de crescimento da economia mundial neste ano. A nova projeção levou em conta os impactos globais da epidemia. Se confirmada a projeção,  será o pior desempenho anual da economia mundial desde 2009, quando o Produto Interno Bruto (PIB) global caiu 0,5% por conta da crise financeira de 2008.

No Brasil,  o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o surto pode reduzir o crescimento do Brasil entre 0,1 e 0,5 ponto percentual. Vale lembrar que além do impacto na economia local, há também os efeitos nas exportações, a China por exemplo, é uma importante compradora de commodities brasileiras e fornecedora de produtos eletrônicos.