Foto: Pedro França/Agência Senado

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, esteve na Comissão de Relações Exteriores (CRE) nesta quinta-feira (5) para falar sobre a nota emitida pelo Itamaraty em apoio ao plano do governo dos Estados Unidos para o conflito entre Israel e Palestina.

O chanceler afirmou não se tratar de um alinhamento à política externa do presidente norte-americano de Donald Trump, mas um apoio à uma base de negociação realista para mudar a situação atual. Para o senador Esperidião Amin (PP-SC), ao se manifestar, o Brasil perdeu a oportunidade de atuar como mediador, papel no qual o Brasil é internacionalmente reconhecido.

“Uma reação contrária ao plano é uma perspectiva dogmática apenas, uma repetição de posições anteriores que até hoje não levaram a nada. Pode-se dizer que é uma proposta pragmática, que tenta ver a situação por ângulos diferentes e criar uma dinâmica diferente. O fato de haver uma busca de equilíbrio claro entre a segurança de Israel e a aspiração de um Estado palestino também é fundamental, algo que não ignora as realidades”, avaliou Araújo.

Fonte: Agência Senado