Foto: Divulgação/Beluga Airbus

A indústria nacional brasileira exporta a maior parte de seus produtos mais caros pela via aérea. No entanto, a exportação via setor aéreo caiu muito nos últimos anos, como reflexo do recuo na venda de bens industriais e do aumento de exportações de produtos básicos, que são exportados, sobretudo, por via marítima.

A Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia informou que o envio de cargas por meio de aviões saindo do Ceará caiu 36,14% em janeiro de 2020, ao comparar com o mesmo período do ano passado.

Um estudo realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) demonstra que o percentual transportado via aviões passou de 18,7%, em 2000, para 11,1% em 2018. A fatia do setor aéreo nos Estados Unidos é de 27,5% e na União Europeia, de 33,1%.

Os principais produtos exportados por esse modal de transporte são reatores nucleares, caldeiras e máquinas (30,2%); pérolas e pedras preciosas (21,2%); aeronaves e aparelhos espaciais (11,6%); máquinas, aparelhos e materiais elétricos (8,4%); instrumentos e aparelhos de óptica e fotografia (5,2%) e outros (20,9%).

Compartilhe