Foto: Justin Sullivan/Getty Images News/Thinkstock

O magnata George Soros, investidor e filantropo, intensificou suas críticas a Mark Zuckerbeg, criador do Facebook, afirmando que ele e a executiva-chefe de operações, Sheryl Sanderberg deveriam ser removidos de seus cargos, alegando que há uma assistência mútua em que “Facebook ajuda Trump a se reeleger e Trump, em troca, defende o Facebook contra reguladores e a mídia”.

Soros é famoso por seus frutos no mercado financeiro e costuma doar dinheiro a causas progressistas e é um doador do Partido Democrata americano. Publicou um artigo de opinião no jornal britânico Financial Times nesta terça-feira (18) e outro no The New York Times, no final de janeiro, fazendo críticas ao CEO do Facebook.

“O Facebook não precisaria esperar pela regulamentação do governo para parar de aceitar qualquer anúncio publicitário político em 2020, até depois das eleições (presidenciais americanas) de 4 de novembro. Se há qualquer dúvida quanto a se um anúncio é político, ele (Facebook) deveria pecar pelo zelo e recusar-se a publicá-lo. É improvável que o Facebook siga esse caminho”, escreveu.

Compartilhe