Foto: Sérgio Lima/Poder360

O ministro de Relações Exteriores, Comércio Internacional e Culto da Argentina, Felipe Solá, esteve na última quarta-feira (12), no Brasil, e pautou a sua primeira visita oficial ao país nos tópicos de renegociação da dívida argentina junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Solá esteve reunido com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e classificou a viagem ao Brasil como um marco de aproximação e amizade, apesar de ter sido adiada por outros fatores. Nas reuniões, foram discutidos temas da agenda bilateral e regional, além de questões internas do Mercosul e dos relacionamentos externos do bloco.

O chanceler argentino disse entender que o fortalecimento do Mercosul não é um retrocesso e afirmou que o seu país não será uma barreira a acordos do bloco com outras nações.

De acordo com Felipe Solá, Bolsonaro sugeriu a possibilidade de uma reunião com o presidente da Argentina, Alberto Fernández, no Uruguai, em 1º de março, em razão da posse de Luis Lacalle Pou como presidente daquele país.

A Argentina está conversando com os detentores de títulos e outros credores para reestruturar cerca de US$ 100 bilhões em dívida, entre outros, com o FMI, ao qual deve cerca de US$ 44 bilhões. O prazo estabelecido, pelo governo argentino, para a renegociação da dívida pública galopante do país é 31 de março.

Compartilhe