Foto: Myke Sena/Divulgação BNDES/Flickr

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, dissena quarta-feira da semana passada que o banco de fomento, em sua nova fase de atuação,vai priorizar gás, meio ambiente e saneamento. O BNDES executa um programa de venda de ações de empresas, por meio de sua subsidiária BNDESpar, e prevê que a carteira com esses papéis se aproxime de 0% em 2022.

Montezano informou ainda que o BNDES continuará atuando nas áreas em que já está presente, como construção de rodovias, portos e geração de energia, até porque a infraestrutura de logística sempre teve papel de relevo no financiamento de projetos do setor privado. Mas acrescentou: “Tem três setores que nós consideramos como a nova fronteira. É onde há menor potencial para mudar vertiginosamente a participação e a dinâmica desses segmentos no país.”

O presidente do BNDES falou sobre a importância da aprovação do marco do saneamento (cujo projeto se encontra no Senado para a última etapa de tramitação) e sobre as mudanças no segmento de gás. “No caso da distribuição, hoje o setor de gás brasileiro é concentrado em estatais e grande parte delas tem a Petrobras como sócia no conjunto com a Mitsui. Então tem que haver uma privatização desse segmento.”

Montezano contou que 02o BNDES está engajando esforços, gente, tecnologia e recursos para assumir um papel fundamental na monetização e na preservação de ativos florestais. “Temos um mar de possibilidades pela frente, até porque somos talvez o maior ativo florestal do mundo, em termos de área e em termos de valor econômico e financeiro.”Enquanto mira tais segmentos, a instituição se desfaz de participações em empresas, pois a ideia é desinvestir nesse setor até o fim de 2022.

“Temos hoje uma carteira de ações especulativas em bolsa de, mais ou menos, R$ 115 bilhões. Na segunda-feira agora (passada), com os mercados mais agitados, nós perdemos algo próximo a R$ 5,8 bilhões em um dia. Então, a população brasileira perdeu esse valor à mercê do mercado.”