Foto: Germano Lüders/EXAME
  O Brasil teve saldo negativo comercial de R$ 7,4 bilhões (US$ 1,745 bilhão) em janeiro, pior dado para o mês em cinco anos, a justificativa está na queda na cotação de diversos produtos internacionais e a redução do embarque de alguns itens. O resultado também foi o primeiro no vermelho para o período desde janeiro de 2015 (US$ -3,185 bilhões).

No primeiro mês do ano, as exportações caíram 20,2% na comparação com igual período do ano passado, pela média diária, a US$ 14,430 bilhões. Já as importações recuaram num ritmo bem mais modesto, de 1,3% na mesma base de comparação, a US$ 16,175 bilhões.

O crescimento nas exportações de minério de ferro e seus concentrados (+US$ 314 milhões), algodão (+US$ 282 milhões) e derivados de petróleo (+US$ 207 milhões), não compensou a queda nos embarques de outros produtos. As exportações do principal produto responsável pelo repique da inflação no fim do ano passado, a carne bovina congelada, cresceram US$ 182 milhões na comparação entre janeiro deste ano e janeiro de 2019.

O Ministério da Economia ainda não divulgou suas expectativas para a balança comercial em 2020, mas já indicou que a perspectiva para o saldo das trocas comerciais é de piora em relação ao superávit de US$ 46,674 bilhões de 2019 pela melhoria esperada para a economia brasileira, o que tende a aumentar a demanda por importações.