Foto: José Cruz/Agência Brasil

De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a proposta de Reforma Administrativa será encaminhada ao Congresso até a primeira quinzena de fevereiro.

O presidente Jair Bolsonaro defende que a reforma só valha para os futuros servidores, poupando os atuais. “O mais importante é a guerra da informação. É mostrar que as reformas propostas são para quem entrar no serviço público daqui para a frente”, disse na segunda-feira passada (27). Segundo ele, isso evita que “usem uma informação daqui para a frente e peguem todo mundo, e cause ruídos”.

O primeiro passo da reforma será passar pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Como ela terá uma nova composição e um novo presidente será eleito, ela pode começar a funcionar só no início de março.