Foto: Divulgação/Hiperativa FM

Projetos de energia solar responderam por mais da metade de toda a oferta inscrita para o próximo leilão de energia nova (A-4, início de suprimento em quatro anos), a ser realizado em 28 de maio.Na ocasião serão negociados contratos de energia de empreendimentos com início de geração a partir de 2024.

Segundo informações da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), foram cadastrados 794 projetos de geração de energia solar fotovoltaica, com um total de 28.667 megawatts (MW) de capacidade.O montante equivale a 55% do total inscrito para o leilão de 51.438 MW, por meio de 1.528 empreendimentos.

Outra fonte que se destacou na etapa de cadastramento foi a eólica. Foram inscritos 659 projetos de geração usando a força dos ventos, somando uma capacidade instalada de 20.825 MW. As fontes eólica e solar respondem por 96,2% de toda a oferta cadastrada para o leilão.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) classifica as geradoras de energia elétrica de porte pequeno em Pequena Central Hidrelétrica (PCH) e Central Geradora Hidráulica (CGH). As PCHs são usinas com reservatório de até 3 km2e potência instalada entre 5 e 30 MW; as CGHs são usinas com potência máxima de até 5 MW. Foram inscritos 54 projetos hidrelétricos de diferentes portes. Entre eles, há quatro hidrelétricas, somando 177 MW.As PCHs cadastraram 39 projetos, totalizando 591 MW. Há também 11CGHs, num total de 33 MW.

Para o leilão de 28 de maio, completam a lista de empreendimentos cadastrados 21 projetos de termelétricas a biomassa, somando 1.145 MWde capacidade. A Bahia lidera a lista de inscrições, com 481 empreendimentos, dos quais 281 são projetos eólicos e 200 de fonte solar. Esses projetos somam 14.801 MW, mais de um quarto de toda a capacidade inscrita para o certame.

Em segundo lugar ficou o Rio Grande do Norte, com 251 projetos, sendo 131 usinas eólicas e 120 solares fotovoltaicas, totalizando 8.673 MW, ou 17% da capacidade inscrita. O terceiro colocado foi o Piauí, com 207 empreendimentos, sendo 47 projetos eólicos e 160 usinas solares, totalizando 7.082 MW. O volume equivale a 14% da oferta inscrita para o leilão.

Compartilhe