Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

A dívida pública encerrou o ano de 2019, em dezembro, em R$4,248 trilhões. Segundo dados do governo, este é o recorde da série histórica e representa um aumento de 9,5% em comparação a 2018.


Nos últimos anos, a arrecadação do governo tem sido menor do que os gastos, o que gera a dívida pública. O Tesouro Nacional, para fechar as contas, emitiu títulos públicos para serem vendidos no mercado financeiro por um valor fixo ou flutuante. Os investidores, por conta da inflação e a taxa básica de juros Selic, optaram por dar preferência a títulos prefixados.


“A gente um vencimento total de R$ 808 bilhões em títulos que vão vencer em 2020, 61% deles são prefixados e apenas 21% são flutuantes. O grande desafio pra gente mudar a estrutura da dívida pública para a direção de títulos pré-fixados é a partir de 2021”, afirmou o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida.

Compartilhe