Foto: Wojtek Radwanski/AFP

Sobreviventes do campo de concentração Auschwitz-Birkenau recordaram as dificuldades que passaram ao relembrar o 75º aniversário de libertação dos prisioneiros. Cerca de duzentos sobreviventes do Holocausto se reuniram nesta segunda-feira (27), no próprio campo, na Polônia.

Ao lado dos sobreviventes, a maioria deles já bem idosa, estavam filhos, netos e bisnetos de pessoas que perderam suas vidas naquele campo de concentração, vindo de partes distintas do mundo, como Israel, Estados Unidos, Peru, Austrália, Rússia, entre outros.

Em nome do Congresso Judeu Mundial, o presidente Ronald Lauder levou a plateia às lágrimas ao contar histórias de sobreviventes que perderam suas famílias em Auschwitz, e pediu: “Não deixem isso acontecer novamente para nenhum povo”, avisando sobre a crescente onda de antissemitismo mundo afora.

O Ministério das Relações Exteriores publicou uma nota comentando sobre a ocasião, citando o apreço do povo brasileiro pela comunidade judia e falando sobre o trabalho de brasileiros que ajudaram judeus a escapar do regime nazista, como Luiz Martins de Souza Dantas e Aracy de Carvalho Guimarães Rosa, além de deixar clara a mensagem, em referência ao acontecido com o ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim: “Hoje, o Brasil, que conta mais de 100 mil cidadãos judeus, permanece mais do que nunca vigilante para que o flagelo do antissemitismo e de qualquer ideologia desumanizante jamais prospere”.

Compartilhe