Foto: Divulgação/Sociedade Online

Nesta terça-feira (14), o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, informou que o governo irá contratar 7 mil militares da reserva para auxiliar nos atendimentos do INSS, com o objetivo de resolver a fila de quase 2 milhões de pedidos represados até setembro.

Além disso, será instalada uma força-tarefa que realizará perícia em 1.514 servidores afastados do instituto, bem como restringir a concessão de servidores do INSS para outros órgãos. 

“A ideia é que esses militares possam ingressar no atendimento, nos postos de atendimento, para permitir que os profissionais, que os funcionários do INSS nos ajudem na análise dos documentos, dos processos, e agilizem essa análise”, afirmou Marinho.

Compartilhe