Foto: Divulgação/Estradas

Com a oferta de R$ 1,1 bilhão, o consórcio Infraestrutura Brasil, formado pelo Fundo Pátria e o Fundo Soberano de Cingapura (GIC), venceu a maior licitação de rodovia realizada no Brasil, ao arrematar o corredor rodoviário Piracicaba-Panorama (Pipa) no dia 8, com ágio em torno de 7.200% em relação aos R$ 15 milhões previstos no edital.

O consórcio vai administrar a rodovia por 30 anos, investindo em torno de R$ 14 bilhões. Segundo o governo, já está programado um aporte de R$ 1,5 bilhão nos dois primeiros anos. O investimento será feito na infraestrutura rodoviária de 1.273 quilômetros, que atravessa São Paulo desde a região de Campinas até o extremo oeste do estado, na divisa com Mato Grosso do Sul.

O consórcio ofereceu ágio em torno de 7.200%, em relação ao valor mínimo de R$ 15 milhões previsto no edital. Foi o dobro da proposta de sua única concorrente, a empresa Ecorodovias, cuja oferta atingiu R$ 527,05 milhões, com ágio de 3.402,13%.

Concessões federais

Um trecho de 220,4 quilômetros de extensão da BR 101, entre o município de Paulo Lopes (SC) e a divisa com o Rio Grande do Sul, inaugura às 10 horas do dia 21 de fevereiro, na Bolsa de São Paulo (B3),o cronograma de leilões de rodovias federais deste ano. A entrega das propostas e dos documentos de qualificação será no dia 17.

Essa concessão é um dos 40 ativos de infraestrutura que o governo pretende leiloar em 2020. Além desse trecho da BR101, devem ser concedidos à iniciativa privada em 2020 outras seis rodovias federais, 22 aeroportos (divididos em três blocos), nove terminais portuários e duas ferrovias.

Além disso, a equipe do Ministério da Infraestrutura trabalha para concluir a renovação antecipada de quatro contratos de transporte ferroviário de cargas. A expectativa é que os projetos de concessão de portos, aeroportos, rodovias e ferrovias alcancem R$ 101 bilhões em investimentos durante o prazo dos contratos.

O governo ainda pretende leiloar este ano as seguintes rodovias: Nova Dutra (BR116/101 – ver nota de abertura); BR163, trecho de 970 quilômetros, de Sinop (MT) a Miritituba (PA); BRs153/080/414, no trecho de 852 quilômetros entre Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO); BRs 116/493, trecho de 711 quilômetros do Rio de Janeiro (RJ) a Governador Valadares (MG); BRs 040/495, trecho de 180 quilômetros de Juiz de Fora (MG) ao Rio de Janeiro (RJ); BRs 381/262 no trecho de 672 quilômetros, de Belo Horizonte (MG) a Governador Valadares (MG) e de João Monlevade (MG) a Viana (ES).