Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Em balanço das atividades feito pelo Ministério do Turismo, foi destaco pelo ministro que o turismo alcançou um patamar inédito, “vivemos o melhor ano do setor no Brasil, disse Marcelo Álvaro Antônio.

O ministro destacou as ações do governo que motivaram a alta do setor, entre eles está a isenção de vistos para Austrália, Canadá, Estados Unidos e Japão, que garantiu recordes de crescimento tanto na entrada de turistas quanto na circulação de dinheiro na economia. Em julho, primeiro mês após a medida, os gastos de turistas estrangeiros cresceram mais de 43% em relação ao mesmo período de 2018, somando US$ 598 milhões. Com exceção de 2014, quando o Brasil sediou a Copa do Mundo, foi o maior aumento das despesas de viajantes no País dos últimos 16 anos.

Aviação

A possibilidade de participação de 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas brasileiras, possibilitou a entrada de novas empresas no país.

Além disso, o Brasil já conta com quatro empresas aéreas de low cost que passaram a operar voos regulares internacionais. Segundo o ministro, o reflexo da chegada dessas companhias ao mercado nacional já pode ser sentido no bolso do viajante. Conforme o IBGE, de janeiro a setembro deste ano, o preço dos bilhetes caiu 16,8%. Trata-se do item não-alimentício com a maior redução ao consumidor no período.

Geração de emprego

Outro destaque registrado pelo ministro foi a geração de emprego por meio do turismo, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio, o setor gerou mais de 25 mil novos empregos direitos e indiretos apenas em julho deste ano. Se considerarmos somente os novos postos de trabalho formais, com base em dados do Caged, o avanço foi de quase 330% se comparado o acumulado de 12 meses até de outubro de 2019 com o período anterior, até outubro de 2018.

Compartilhe