Andrew Parsons/Pool via REUTERS

A vitória do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, foi confirmada na manhã desta sexta-feira (13), com seu partido assegurando 326 dos 630 assentos no Parlamento. Com isso, os conservadores saem fortalecidos do quarto pleito em quatro anos, e o Brexit, cada vez mais latente e próximo. Segundo fontes, Johnson obteve a melhor vitória em eleições desde Margaret Thatcher, em 1987, e, segundo especialistas, um caminho mais amigável para o Brexit está se abrindo. “

As pessoas querem acabar logo com isso”, disse o número dois do Partido Trabalhista, John McDowell, em entrevista ao Sky News, sobre o sentimento popular em relação ao Brexit – o partido é opositor a Johnson e adepto da linha de Jeremy Corbyn, que defende estreitar laços entre Reino Unido e União Europeia. Johnson discursou após a vitória e reiterou que o Brexit é “irrefutável, irresistível, uma decisão indiscutível do povo britânico”.

O presidente norte-americano, Donald Trump, deu os parabéns a Johnson e afirmou que agora os EUA e o Reino Unido estão mais livres “para firmar um maciço novo acordo comercial após o Brexit” e que este “pode ser muito maior e mais lucrativo do que qualquer acordo que possa ser feito com a União Europeia”.