Foto: Jose Huesca/EPA

O Reino da Arábia Saudita assumiu ontem (9), pela primeira vez, a presidência rotativa do G20, sucedendo a presidência japonesa de 2019 e antecedendo a Cúpula de Líderes em Riade, em 21 e 22 de novembro de 2020. Essa será a primeira vez que o evento ocorrerá no mundo árabe, sendo a Arábia Saudita o único país árabe a integrar o bloco.

Corroborando com as ações da presidência japonesa, a representação árabe afirmou que continuará a apoiar os esforços para a cooperação global. Recentemente, a Arábia Saudita, na esperança de melhorar sua imagem internacional frente ao balanço sobre direitos humanos, colocou em prática programa de reformas econômicas e sociais, os quais dão mais espaço e direitos às mulheres.

O rei saudita, Salman Bin Abdulaziz Al-Saud, disse em nota que o país está otimista e busca construir um cenário para que o G20 apresente iniciativas e resultados que atendam às expectativas dos povos de todo o mundo. Já o príncipe herdeiro, Mohammed Bin Salman, afirmou, também em nota, que durante sua presidência do G20, o reino da Arábia Saudita continuará com o trabalho de promover o consenso global e alcançar realizações tangíveis.

Os três pilares da gestão saudita do G20 são: empoderamento de pessoas, proteção do planeta e molde de novas fronteiras.