Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O Intercâmbio Brasil-África pela Proteção da Mulher, promovido pelo Banco Mundial e a Secretaria da Mulher do Distrito Federal, iniciou neste domingo (1º) e vai até esta quarta-feira (04). 

O objetivo do evento é debater o acesso à justiça e á espaços que promovam a igualdade. A diretora-geral do Senado, Ilana Trombka, reiterou a importância cobre a visibilidade dos casos de feminicídio e sobre a cota especial do Senado para contratar mulheres em vulnerabilidade socioeconômica em razão de violência doméstica e familiar. 

“O silêncio é uma violência e a invisibilidade é o lugar onde tentaram colocar a mulher durante muito tempo na nossa história. Hoje, nós somos visíveis e para o lugar da invisibilidade nós não voltaremos. A UnB [Universidade de Brasília] tem um grupo de pesquisa que vem se debruçando há dois anos sobre isso [as melhores formas de divulgar os casos de violência contra a mulher]. Então, é importante que saibamos como falar, mas que falemos”, afirmou Trombka.