Foto: Paulo Whitaker/Reuters

No último semestre de 2019, o setor automobilístico, mais precisamente as montadoras Ford, Audi e Daimler, juntas anunciaram mais de 30 mil demissões para os próximos meses. A justificativa, segundo elas, são investimentos em carros elétricos e vendas mornas.

A Ford irá fechar 6 das mais de 20 plantas. Já a Audi optou por economizar bilhões de euros, demitindo 15% de sua força de trabalho europeu, para contratar mil pessoas especializadas em carros elétricos. Por último, a Daimler, que fabrica carros da Mercedes-Benz, irá cortar 10 mil empregos pelo mundo.

Os cortes ainda não afetaram diretamente a indústria automobilística brasileira, uma vez que se concentraram principalmente na Europa. Contudo, a preocupação do Brasil é justificável, uma vez que alguns veículos dão prejuízo para a empresa, como o Ford K, que há um prejuízo de US$5 mil dólares por unidade vendida.

Compartilhe