Foto: Á.G/Divulgação

A Cúpula do Clima (COP25), que deve assentar as bases para uma nova fase de ação climática, está a pleno vapor desde esta manhã, em Madri (Espanha), com a presença de cinquenta chefes de Estado ou de Governo e representantes dos principais organismos internacionais, que estão sendo recebidos pelo presidente em exercício, Pedro Sánchez.

Nessas duas semanas de evento, de 2 a 13 de dezembro, a Cúpula do Clima conta com quase 30 mil pessoas de cerca de 200 países, e tem por objetivo colocar em prática o que foi acordado no Acordo de paris, em 2015. O principal desafio da COP 25 será acelerar o combate às mudanças climáticas, dado que eventos como enchentes e queimadas estão intrinsecamente ligados ao aquecimento global causado pelo ser humano.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que só resta optar entre a esperança e a rendição, no que diz respeito ao quesito ambiental, e acrescentou: “Estamos destruindo os sistemas que nos mantêm vivos”. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, para janeiro “a primeira lei europeia de transição para a neutralidade climática”. Já a presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, deixou claro: “Em nome da Câmara e do Congresso norte-americano, lhes digo que seguimos envolvidos”.

Compartilhe