Foto: Itamaraty/Divulgação

O governo norte-americano concedeu o agrément (autorização) para que o diplomata Nestor Forster assuma a embaixada do Brasil em Washington na última terça-feira (19).

Forster, que está no posto provisoriamente desde a saída de Sergio Amaral, deve ser sabatinado em fevereiro pelo Senado brasileiro, que poderá ou não o aprovar para o cargo, conforme afirmou o presidente da Comissão de Relações Exteriores, Nelson Trad Filho (PSD-MS). O atual encarregado de negócios da embaixada brasileira em Washington era o mais cotado para o cargo até o presidente Jair Bolsonaro optar por indicar um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O filho de Bolsonaro chegou a ter agrément concedido pela Casa Branca mas, em outubro, o deputado anunciou, no Plenário da Câmara dos Deputados, que desistira de ocupar o cargo após o acordo entre Brasil e EUA para o uso comercial da base de Alcântara (MA).

Forster é diplomata de carreira, tendo sido promovido a ministro de primeira classe me junho de 2019, já foi chefe do departamento de política comercial dessa mesma embaixada nos anos 1990, já serviu três vezes nos EUA, além do Canadá e da Costa Rica. Além disso, tem forte ligação com Olavo de Carvalho, tido como o guru do bolsonarismo, e com o conservadorismo americano, tendo sido o principal articulador da palestra que Ernesto Araújo, ministro brasileiro das Relações Exteriores, deu na Heritage Foundation, templo da direita norte-americana, durante visita do chanceler às terras de Donald Trump.

Compartilhe