Foto: Pedro Ladeira/Folha Press

Na sessão do Plenário da Câmara desta terça-feira (19), parlamentares repudiaram a atitude do deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), que retirou uma arte do cartunista Carlos Latuff que compunha a exposição sobre o Dia da Consciência Negra e retratava um jovem negro algemado e um policial. 

O deputado Tadeu, ao encontrar a placa na parede, a retirou e quebrou. Com essa atitude, alguns deputados se manifestaram que irão ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), reconhecido por ter quebrado uma placa em homenagem à ex-vereadora Marielle Franco, defendeu Tadeu. 

A deputada Benedita da Silva (PT-RJ), mulher negra e de origens periféricas, defendeu que a remoção da placa foi um ato de violência. “Nós, os negros, só queremos o nosso direito e buscamos esse direito dentro de um processo democrático. É impossível aceitar o que aconteceu. Foi como se tivessem dado um tapa na cara de cada um, negros e negras desta Casa, mesmo aqueles que não se manifestaram”.

Compartilhe