Foto: Reuters/Goran Tomasevic

O presidente chileno Sebastián Piñera, em pronunciamento à Nação neste domingo (17), condenou os abusos policiais cometidos durante as manifestações que ocorrem no país e reiterou o acordo com o Congresso para uma nova Constituinte. 

A crise deixou 22 mortos e milhares de feridos pelo país. Piñera afirmou que “”houve uso excessivo da força, foram cometidos abusos ou delitos e não se respeitaram os direitos de todos”, em sua primeira declaração crítica à polícia desde que o movimento teve início. 

A Constituição vigente no Chile é a mesma da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990). O atual presidente, compreendendo a importância histórica do momento, afirmou que “e a cidadania assim o decidir, avançaremos para uma nova Constituição, a primeira na democracia”.

Compartilhe