Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Pesquisa divulgada ontem (13) pela XP/Ipespe, realizada entre 6 e 8 de novembro,  mostra que a avaliação positiva (ótimo/bom) do governo Jair Bolsonaro cresceu dois pontos percentuais (de 33% para 35%) de outubro para novembro.

No mesmo período, a avaliação negativa (ruim/péssimo) oscilou um ponto para baixo (de 38% para 39%). E a avaliação regular, por usa vez, oscilou dois pontos para baixo (de 27% para 25%). Ambos os percentuais estão dentro da margem de erro, que é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Com o levantamento é possível perceber um viés de alta na avaliação “ótimo/bom” de Jair Bolsonaro. Nos últimos três meses, sua popularidade cresceu de 30% (setembro) para 35% (novembro), o que pode se explicado pelos sinais de recuperação que a atividade econômica começa a demonstrar.

Em relação ao pacote econômica do governo, anunciado recentemente pelo ministro Paulo Guedes, 57% consideram as medidas positivas. Apenas 35% entendem que as propostas são negativas.

Quanto à polêmica proposta de extinção dos pequenos municípios, prevista no novo ciclo de reformas enviado ao Senado, 60% são favoráveis e 32% contrários.

Questionados sobre os servidores públicos, 59% responderam que eles trabalham menos que os funcionários das empresas públicas. 22% acham que trabalham igual. E apenas 13% entendem que o servidor trabalha mais.

Em relação à remuneração dos servidores, 52% dos entrevistados responderam que eles ganham mais que os funcionários das empresas privadas. 15% acham que ganham igual. E 21% responderam que os servidores públicos ganham menos que os trabalhadores do setor privado.

A maioria dos entrevistados (52%) é favorável que as regras para demissão de servidores públicos sejam flexibilizadas. Outros 39% defendem regras que dificultam a demissão de servidores.

Compartilhe