Divulgação/PPI

A secretária de Fomento, Planejamento e Parcerias do Ministério da Infraestrutura, Natália Marcassa, anunciou na semana passada que a concessão do trecho da BR-101, entre Palhoça, na região metropolitana de Florianópolis e a divisa com o estado do Rio Grande do Sul, deve ocorrer em fevereiro do próximo ano.

Segundo a secretária o edital deve ser publicado até o dia 30 deste mês. Nesse trecho deve ser adotada nova modelagem que o governo pretende adotar, como cobrança diferenciada de tarifas de pedágio, obrigatoriedade de duplicação da via em casos como aumento do fluxo de tráfego e eventualmente cobrança de outorga pela concessão do trecho.

Na quarta-feira, deputados da bancada catarinense na Câmara estiveram reunidos com o diretor-geral da ANTT, Mário Rodrigues, tratando da licitação desse trecho da BR 101. Ao mesmo tempo, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputados propuseram mobilizar a comunidade do Sul do estado para evitar que a ANTT implante quatro praças de pedágio nos 220 km da rodovia.

“Serão quatro praças com preço de R$ 4,40 a R$ 4,70 e não querem respeitar o critério de 100 km entre cada praça. Só tem um jeito de dar um recado e a mensagem chegar ao presidente: reunir as forças e o povo e parar a rodovia, temos de nos unir no maior protesto que o Sul já fez”, defendeu Felipe Estevão (PSL). A deputada Luciane Carminatti (PT) lembrou a votação recorde de Jair Bolsonaro no estado: “é hora de o presidente começar a devolver os votos”.

Compartilhe