Reprodução/G1

Brasil e Argentina são parceiros comerciais de longa data e de extrema valia um para o outro, entretanto a queda econômica dos argentinos se tornou um empecilho para as trocas comerciais com o Brasil, fazendo com que, pela primeira vez em décadas, a Argentina perdesse o terceiro lugar como parceiro comercial do Brasil em todo o mundo.

Os argentinos foram ultrapassados, no tocante às exportações brasileiras, pelos Países Baixos e, nas importações, pela Alemanha. Os valores utilizados como base são os provenientes da balança comercial correspondente aos nove primeiros meses de 2019.

Todos os cinco principais produtos embarcados do Brasil para a Argentina tiveram reduções significativas, com destaque especial para os veículos de carga, que despencaram 69,5% para US$ 307 milhões. No ano de 2018, o Brasil havia exportado para a Argentina um total de US$ 14,913 bilhões e importou bens no total de US$ 11,051 bilhões.

A indústria automobilística brasileira é o setor mais afetado pela crise argentina. De janeiro a julho, as exportações de veículos encolheram 51,8% para US$ 1,07 bilhão. Importante lembrar que em setembro os dois países fecharam um acordo de livre comércio de carros a partir de 2029.

A regra atual tem beneficiado o Brasil, que tradicionalmente tem exportado mais do que importado da Argentina. Mas o comércio bilateral de veículos e autopeças é relevante para ambos os países.

Compartilhe