Divulgação

As discussões sobre o aquecimento global invariavelmente levanta suspeitas dos mais céticos. Há quem defenda que tudo não passa de radicalismo dos ambientalistas e negue sem maiores preocupações a hipótese de que o planeta de fato esteja passado por uma drástica mudança climática.

Pois esses talvez encontrem dificuldade em convencer os cultivadores de algas marinhas usadas para enrolar sushis e temakis — nori —, na pequena cidade de Futtsu, bem na entrada da Baía de Tokyo.

Uma cooperativa dedicada a esse serviço, e que em 2015 empregava mais de 100 pessoas, hoje conta com 75 empregados. O motivo é que as dificuldades para obter as algas aumentaram bastante, já que as ditas-cujas precisam de água fria para se desenvolver e a temperatura do mar cresceu consideravelmente, segundo relato dos trabalhadores.

Com a diminuição da produção, o preço do produto já começa a crescer nos mercados locais.

Compartilhe