Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro defendeu a troca de comando na Polícia Federal e que a instituição demanda novo diretor que seja “Moro Futebol Clube”. O Presidente afirma que já conversou com o ministro da Justiça e que ele pode efetuar essas trocas na PF “quando quiser”.

Moro, em declarações recentes à imprensa, disse que pretende manter Maurício Valeixo, diretor-geral da PF, por ter a sua “confiança”, mas que sempre há a possibilidade de sua saída, haja visto que “as coisas eventualmente podem mudar”.

Bolsonaro afirmou que o comando da instituição precisa de uma “arejada” e que o delegado Anderson Gustavo Torres, atual Secretário de Segurança do Distrito Federal,  é o seu favorito para assumir o posto, mas sempre rechaçando que a interferência na PF tenha algo a ver com as investigações contra Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Senador da República e filho do Presidente, que é acusado de ter feito uso de “rachadinha” (devolução de parte do salário pago a assessores) quando deputado na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Além disso, chamou de “babaquice” as reações exaltadas de policiais federais a respeito dessas trocas no comando da PF.