Foto: Agência Brasil/ EBC

O presidente Jair Bolsonaro teceu duras críticas à alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para direitos humanos, Michelle Bachelet, em declaração na saída do Palácio da Alvorada na manhã de hoje (04/09).

Bachelet, que também é ex-presidente do Chile, disse à imprensa que houve, nos últimos meses, uma “redução do espaço democrático” no Brasil e que não há punição exemplar para o corpo policial brasileiro, e Bolsonaro a acusou de defender “direitos humanos de vagabundos”.

Além disso, o presidente declarou que, se Augusto Pinochet, ditador chileno nas décadas e 1970 e 1980, não tivesse derrotado esquerdistas – entre eles o pai de Bachelet, Alberto Bachelet, que era general da Força Aérea do Chile e morto vítima de maus-tratos sofridos na cadeia onde foi preso acusado de traição à pátria – o Chile seria hoje “uma Cuba”, fazendo referência ao regime totalitário da ilha cubana, governada por décadas pelos irmãos Castro.